Saiba como a psicanálise pode ajudar no TOC

Você conhece alguém que tem o hábito de checar se a porta está fechada inúmeras vezes? Ou alguém que tem a mania de lavar as mãos quase toda hora sem necessidade aparente? Pois essas situações podem indicar Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC). Esse tipo de distúrbio traz muito sofrimento e pode ser perfeitamente tratado pela psicanálise.

Os casos desse transtorno variam muito, mas uma característica comum é que as pessoas ficam reféns de si mesmas por causa de suas manias.

Quer saber mais? Acompanhe este texto e conheça algumas informações sobre o TOC. Descubra também como a psicanálise pode trazer bastante conforto para quem sofre desse distúrbio. Confira!

O que é TOC?

O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é uma psicopatologia que apresenta como sintoma básico as manias excessivas ou irracionais. Basicamente, quem sofre desse distúrbio tem uma necessidade incontrolável de realizar rituais de forma incessante, mesmo sabendo que aquilo não possui nenhum sentido prático.

A mente da pessoa com TOC é repleta de pensamentos compulsivos, dúvidas constantes e uma vontade de controlar tudo. Além disso, essa pessoa se torna prisioneira da necessidade de cumprir seus rituais. Isso causa bastante sofrimento psíquico e social.

Como saber se uma pessoa sofre de TOC?

Os sinais desse transtorno aparecem nitidamente pelas manifestações externas que os portadores apresentam. Repetições, preocupações excessivas e os famosos tiques nervosos podem surgir e são facilmente identificáveis.

No entanto, geralmente é o próprio paciente que percebe os sintomas. Ele se queixa de sentimento de angústia por não se adequar perfeitamente às suas compulsões.

O diagnóstico do TOC é clínico. Isto é, não pode ser detectado por exames laboratoriais ou de imagem, mas apenas com base em sintomas comportamentais. Essa análise deve ser feita por um profissional, por exemplo, um psicanalista.

Como a psicanálise explica o TOC?

Para a psicanálise freudiana, o TOC tem origem em uma fase do desenvolvimento psicossexual na infância, quando pode ser estabelecida a neurose obsessivo-compulsiva.

Essa neurose ocorre porque o indivíduo ainda está fixado na fase anal. Ele não conseguiu superar as características do momento de passagem pelo Complexo de Édipo, que geralmente ocorre aos cinco anos de idade.

Por isso, o sujeito com Neurose Obsessivo-Compulsiva tem um superego extremamente rígido, o que faz com que essa pessoa tenha um excesso de cobranças internas, muitas vezes injustas, e um comportamento social bastante problemático.

Como é o tratamento do TOC por meio da psicanálise?

Os sentimentos e pensamentos conflitantes que afligem uma pessoa com TOC podem ser trabalhados por meio da psicanálise. Com a análise e a ajuda do psicanalista, o indivíduo poderá perceber o que está por de trás do ritual, possibilitando trabalhar em sua estrutura psiquica a fixação em uma circunstância vivida ou fantasiada, e assim aliviar o sintoma.

É preciso entender que o TOC não é um tipo de distúrbio que tem cura. No entanto, a terapia ajuda a dar ao sujeito mais conforto e controle dos pensamentos, uma vez que as situações de ansiedade e angústia podem ser trabalhadas durante a análise.

Essas foram algumas informações sobre o TOC e como a psicanálise pode auxiliar no alívio do sintoma.  Além da aplicabilidade desse método para ajudar em distúrbios de comportamento, a psicanálise também é útil para o desempenho no trabalho. Saiba mais sobre como a psicanálise pode ajudar na vida profissional.

Gostou do nosso conteúdo? Fique por dentro desse e de outros assuntos curtindo nossa página no Facebook.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.