Psicanálise winnicottiana: quais as diferenças em relação a outras linhas?

A psicanálise é um ramo clínico teórico que tem a finalidade de esclarecer como funciona a mente humana e ajuda a tratar vícios mentais e neuroses. O ponto central de estudo da psicanálise está na relação entre o inconsciente, o comportamento e os sentimentos vividos pelas pessoas.

Também conhecida por “teoria da alma”, foi criada por Sigmund Freud, um neurologista austríaco que se tornou referência no assunto. De acordo com ele, uma boa parte dos processos psíquicos da mente permanecem em estado de inconsciência e são governados por desejos sexuais.

Dentro desse assunto, este artigo vai tratar da psicanálise winnicottiana, trazendo seu conceito e desvendando um pouco mais sobre seu autor. Confira!

Quem foi Donald Woods Winnicott?

Donald Woods Winnicott foi um pediatra e psicanalista nascido na Grã-Bretanha no ano de 1896. Ele desenvolveu um conceito dentro da psicanálise cuja base está nas relações familiares entre a criança e o ambiente em que ela vive. As ideias usadas por Winnicott são diferentes daquelas atestadas por Freud, outro nome importantíssimo para a psicanálise.

Winnicott dizia que todo mundo tem potencial para se desenvolver e amadurecer, pois isso faz parte da natureza do homem. No entanto, para que esse desenvolvimento aconteça, ele afirmava que o ambiente faz toda a diferença.

Segundo o psicanalista, no início da vida esse ambiente é a função exercida pela mãe durante a maternidade. Para chegar ao seu pleno desenvolvimento, a criança passaria por fases que demonstram dependência até chegar à independência.

De acordo com a sua visão, no começo da vida o bebê não é um ser movido por suas forças internas uma vez que ele é incapaz de usar seus mecanismos mentais. Para o bebê, as forças instintuais são como os fenômenos naturais, que não o movem, mas ameaçam. Portanto, o motor do bebê é o fato de ele estar vivo.

Para Winnicott, o bebê não se relaciona com o seio da mãe por questões biológicas ou por motivos sexuais e tampouco vê o seu pai como seu rival, conforme a teoria de Freud. Ele apenas quer a presença segura da mãe e só adquire a capacidade de usar seus instintos e mecanismos mentais se o seu contato com a mãe for satisfatório.

Qual a diferença entre a psicanálise winnicottiana e a freudiana?

Sigmund Freud, com vários conceitos — como o complexo de Édipo — desenvolveu a Teoria das fases do desenvolvimento psicossexual, que são cinco e começam na infância.

Freud afirmava que as cinco fases eram regidas pelos instintos sexuais e que, durante esse período, a criança se concentra em canalizar as energias em busca de prazer em cada fase e assim a personalidade vai sendo construída. Essas fases são:

Fase oral

Essa fase começa ao nascer e dura até os 18 meses de idade. Nessa fase a boca é o foco de gratificação sexual derivada do prazer de se alimentar do seio da mãe e da mania que todo bebê tem de levar os objetos à boca.

Fase anal

Depois que a criança completa um ano de idade, até os três anos ela começa a focar no processo de eliminação. Os pais começam a ensinar o filho a usar o vaso sanitário, ou seja, a criança passa a comandar os seus instintos eliminatórios, podendo “segurar” ou “liberar” quando quiser.

Fase fálica

Segundo Freud, a fase fálica começa aos três anos e termina aos seis. Durante essa fase cresce na criança um interesse sexual que faz com que ela sinta atração pelo genitor de sexo oposto. Em meninos, a atração pelo sexo oposto leva ao complexo de Édipo, ou seja, a criança passa a ter rivalidade com o pai pelo amor de sua mãe.

Fase latente

O período latente começa aos seis anos e se estende até a puberdade. Durante esse período o desenvolvimento psicossexual é suspenso porque os pais começam a reprimir todo e qualquer impulso sexual que a criança sinta. Portanto, se essa repressão for bem-sucedida, toda a energia da criança será canalizada para a escola, estudos e amigos.

Fase genital

O estágio genital começa na puberdade, quando os desejos sexuais aumentam consideravelmente. É neste momento que os conflitos emocionais e psíquicos começam.

A principal diferença da metodologia de Winnicott em relação à de Freud e outros psicanalistas foi determinar o estudo do bebê e da mãe como “unidade psíquica”. Esse método permitiu observá-los juntos, e não somente analisar o comportamento de ambos separados.

Dessa forma, não é possível descrever um bebê sem mencionar sua mãe, uma vez que a base da criança está nas relações familiares.

Na teoria winnicottiana, um dos conceitos mais importantes é o “good enough mother”, que quer dizer “uma mãe suficientemente boa”. De acordo com essa teoria, se a criança tiver uma boa mãe e for amparada pelo pai, a família será uma base sólida para proporcionar o melhor desenvolvimento da criança.

Qual é a base da psicanálise winnicottiana?

A psicanálise de Donald Winnicott tem com base pelo menos três motivos para afirmar que a formação do “eu” está na família. Veja abaixo quais são eles:

  • a família tem uma disposição maior para ajudar no desenvolvimento;
  • a família não tende a variar muito. É uma constante que dá base ao desenvolvimento da criança;
  • a maioria das famílias possui um grau de tolerância maior para lidar com os períodos difíceis desse desenvolvimento.

Para a psicanálise winnicottiana, a criança nasce totalmente indefesa e a mãe é quem oferece um suporte para que toda a predisposição ao desenvolvimento se concretize. É dessa maneira que a criança consegue alcançar todo seu potencial e desenvolver a sua independência motora.

Winnicott não quer dizer, com isso, que a função do pai é dispensável para o crescimento da criança. A presença paterna é, sim, muito importante, mas é a mãe que dá toda a segurança para o bebê desde a sua fase de colo, por isso a sua presença é tão importante.

As correntes da psicanálise possuem algumas diferenças básicas, mas temos certeza que com este post ficou mais fácil entender um pouco sobre o surgimento e o tipo de método utilizado nesse ramo do estudo do inconsciente, não é mesmo? Qual ramo da psicanálise você acredita ser o mais correto?

Achou o texto interessante? Quer receber mais conteúdo como este? Então siga a SBPI nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades. Nós estamos presentes no YoutubeTwitter e Facebook.

2 comentários para este post
  1. ótimo texto muito bem explicado parabéns me interesso muito pelo assunto.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.