O que é narcisismo para a psicanálise? Entenda o conceito!

Provavelmente você já escutou o termo “narcisista” para se referir a alguém que adora exageradamente o próprio corpo. No entanto, do ponto de vista da psicanálise, o narcisismo é um elemento fundamental para a composição da identidade, ou seja, da forma como um indivíduo se enxerga perante o mundo.

Para que você compreenda melhor o que é narcisismo, fizemos este artigo com informações essenciais sobre o assunto. Confira!

Relação entre o conceito e o mito

O mito começa quando os pais de Narciso o levam para consultar um oráculo. Lá, eles descobrem que o bebê terá uma longa vida, desde que não veja a própria face. Narciso cresce e torna-se muito belo, mas não aceita a aproximação de nenhuma das moças que o cortejam.

Em um dado momento, a ninfa Eco se apaixona perdidamente por Narciso, mas ele a rejeita. Amargurada, ela se isola em uma caverna, onde definha, sobrando apenas seus ossos e sua voz.

As outras ninfas pedem para que Narciso pague pelo que fez Eco passar, então Nêmesis o induz a encontrar um lago após um dia muito quente de caça. Ao debruçar-se para beber água, ele vê a própria imagem e seu fim trágico o alcança.

Existem dois finais para esse mito: em um, ele contempla a própria imagem até definhar e, no outro, mergulha no lago e se afoga. Em todas as versões, o ponto principal é a adoração exacerbada do eu, e é nisso que se desenvolve a teoria psicanalítica.

Início da teoria narcisista

Ao contrário do que se possa imaginar, Freud, o pai da psicanálise, não foi o primeiro a utilizar o termo narcisismo. Entretanto, quando Paul Näcke o utilizou, em 1899, foi com um sentido diferente. Ele dizia ser um estado de amor por si mesmo que poderia ser caracterizado como uma perversão.

Já Freud fez a primeira menção pública do termo em 1909, em uma nota de rodapé da segunda edição de “Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade”.

Freud e o conceito de Narcisismo

Foi apenas em 1914 que Freud lançou o texto “Sobre a Introdução do Conceito de Narcisismo”, em que aborda conceitos como o narcisismo primário e a construção do Eu.

De acordo com ele, o processo ocorre quando o indivíduo ainda é bebê e começa a receber informações a respeito de si mesmo com base na visão dos que o cercam. O olhar dos pais costuma ser de adoração, com diversas expectativas para a vida da criança.

Isso é o que Freud chamou de narcisismo primário. Ele é importante para o desenvolvimento de como o indivíduo se enxergará. Quando essa fase não ocorre, não é possível constituir a imagem de si, o que pode causar sentimentos como impotência e fragilidade.

Já quando ela é exagerada pode comprometer o futuro, pois pessoas narcisistas geralmente não conseguem se sair bem na vida profissional, social e amorosa. Quando o meio-termo é alcançado com sucesso, o ser humano desenvolve a identificação de maneira adequada.

Narcisistas na sociedade atual

Após ver o conceito, é possível ter em mente a dúvida: o que é narcisismo atualmente? Alguns acreditam que estamos vivendo em uma sociedade repleta de narcisistas, por conta do estímulo à exaltação do Eu nas redes sociais.

Traços como exigência pela perfeição do outro, arrogância e aniquilação do ego alheio são algumas das características desse desvio. O tratamento pode ser feito por meio de sessões de psicanálise, buscando alterar o comportamento do indivíduo e a forma como ele vê os outros e a si mesmo.

Esses são apenas alguns pontos desse conceito, que é muito importante para a psicanálise. Se você gostou, aproveite e curta nossa fanpage no Facebook. Lá você terá acesso a muitos outros conteúdos!

4 comentários para este post
  1. Gostei! Preciso de mais textos sobre esse assunto. Tenho que fazer uma.artigo, se puderes me ajudar…grato!

  2. Preciso de indicação de livros nesse assunto

  3. Olá,
    Gostaria de mais informações, onde posso encontrar?

  4. Realmente a sociedade contemporânea mostra claramente essa cultura narcisista, de culto a beleza e aos bens de consumo, fragmentando as relações interpessoais e distanciando cada vez o sujeito de si mesmo em busca de um ideal do eu. É um problema visto diariamente na clínica …

Deixe uma resposta