Entenda por que as pessoas têm medo de mudanças

Você sabe por que as pessoas têm medo de mudanças? Novidades e transformações fazem parte da vida e são necessárias para a evolução do ser humano — sob vários aspectos. Apesar disso, o processo de lidar com novas situações pode ser bem complexo para alguns indivíduos, chegando a um nível prejudicial.

Em resposta a esse medo, muitas pessoas se tornam prisioneiras de circunstâncias confinantes e nocivas, mas não conseguem cruzar as fronteiras da inércia. Ao longo deste post, vamos conversar um pouco mais sobre esse tema e entender por que a mudança parece algo tão assustador e como a psicanálise pode ajudar a lidar com esse sentimento. Continue a leitura!

O que provoca o medo de mudanças?

O medo que muitas pessoas têm de encarar uma mudança na vida — seja de endereço, seja de trabalho, seja de situação conjugal, seja de qualquer outra modificação na rotina — remete-nos ao conhecido termo “sair da zona de conforto”. Contudo, não significa exatamente que a circunstância atual é confortável e positiva, mas que o que está em jogo é uma sensação equivocada de segurança e controle.

Sair de um lugar conhecido e encarar algo novo implica a falta de domínio sobre a situação e isso causa incômodo, porque o ser humano sente necessidade de controle e de previsibilidade.

Outro fator que provoca esse medo é o confronto com sentimentos que foram, há tempos, arquivados em um canto escuro e silencioso da nossa mente, ou seja, no inconsciente. Certas mudanças são tão intensas que reviram lembranças e trazem à tona emoções difíceis de ressignificar.

O aspecto aparentemente negativo da mudança é que ela demanda mais energia psíquica para encontrarmos um novo ponto de equilíbrio. Isso significa que, enquanto a pessoa tenta se reorganizar e reencontrar a estabilidade, ela tem que lidar com certo desgaste emocional.

Apesar desse entrave causado pelo medo de mudar, toda transformação traz consigo algo positivo, que resulta em crescimento e fortalecimento. E, muitas vezes, encarar a mudança é seguir em direção à liberdade e soltar amarras que já não precisam mais existir. Ou seja, o que parece ser um passo incerto pode ser o início de uma jornada muito mais prazerosa!

Qual o impacto desse medo na vida das pessoas?

A pergunta que muitas pessoas fazem é: “por que mudar se está bom assim?”. No entanto, será mesmo que a situação atual é benéfica? Ou é o conhecido costume que predomina? É necessário avaliar bem o que realmente prende o indivíduo e saber se existem motivos coerentes para permanecer na condição em que está ou se é hora de tomar uma atitude mais enérgica.

O medo de mudanças pode impactar a vida das pessoas de forma negativa. Isso porque esse sentimento se torna limitante e impede que o indivíduo evolua, seja na vida pessoal, seja na vida profissional.

Um exemplo comum é o caso da pessoa que vive em um relacionamento abusivo, mas não consegue se desprender desse sofrimento, porque acredita que a separação — a nova vida — seria ainda mais dolorosa.

Também devido ao medo de iniciar uma nova fase e encarar maiores desafios na vida profissional, existem aqueles que sabotam seu próprio potencial e minam suas chances de progresso na carreira. E é assim que o comodismo dá lugar à estagnação!

Como a psicanálise pode ajudar?

Todos estão sujeitos a sentir insegurança e ansiedade diante das transformações que ocorrem na vida. É necessário olhar com mais atenção para esse sentimento quando ele se torna irracional, causando um verdadeiro pavor no indivíduo. Nesse ponto, é imprescindível buscar acompanhamento de um especialista e derrubar as barreiras que limitam o seu desenvolvimento.

Para ajudar a enfrentar o medo de mudanças, o psicanalista percorre caminhos que conduzem aos sentimentos mais profundos do paciente. Dessa forma, é possível compreender quais são os verdadeiros medos do indivíduo, aqueles que até então estavam inacessíveis, causando angústia e dando origem aos bloqueios não compreendidos.

Na sequência desse assunto, leia também nosso outro artigo sobre agorafobia — o medo de ter medo — e entenda um pouco mais sobre essa temática!

Deixe uma resposta