Como fazer um bom atendimento psicanalítico?

Saber como fazer um bom atendimento psicanalítico é a maneira mais efetiva para conquistar e manter os pacientes. Independente também da linha a ser seguida na terapia, o trabalho para se tornar um excelente profissional passa desde cursos de especialização até o exercício da empatia.

Uma coisa é certa: quanto mais preparado estiver o psicanalista, maior será o número de ferramentas para lidar com os seus pacientes. A psicanálise pode ser muito difícil, uma vez que exige de casos profundos muita dedicação e tempo de terapia. Por esse motivo, o analista deve se empenhar no aperfeiçoamento dos sujeitos analisados, fugindo de qualquer simplificação ou atendimento superficial.

Confira, neste artigo, quais são os principais pontos que formam um excelente analista!

A preparação da consulta

A organização é primordial para estruturar o bom atendimento. Começando pelo ambiente, a sala do analista pode trazer seu estilo, mas é importante que o espaço esteja sempre limpo, ventilado e não muito iluminado, de modo a aumentar o conforto dos pacientes.

O cadastro e as informações sobre as sessões devem ser bem armazenadas, de fácil acesso e consultadas com a mesma frequência dos encontros.

A condução das sessões

A diminuição do sofrimento psiquiátrico passa por uma combinação de questões tratadas pelo analista em uma constante volta aos fatos passados mencionados por quem está sendo atendido.

O psicanalista deve usar de toda sua técnica e habilidade para desenvolver os modos de interpretação, esforçando-se para estabelecer uma transferência que ancore a evolução da terapia. A seguir, listamos as características desejadas para um bom psicanalista.

Confiança

As sessões de psicanálise podem ser compreendidas como uma troca feita em um ambiente íntimo, onde o analisado compartilhará seus anseios mais profundos. Passar confiança para o seu paciente é, no entanto, a coisa mais importante ao se iniciar o processo, o deixando à vontade para poder falar de seus sentimentos.

Sensibilidade

O desenvolvimento da sensibilidade na análise não necessariamente tem a ver com demonstrar afetividade, mas em saber se relacionar com o problema do outro. A compreensão do papel do analista passa por tornar-se sensível aos sintomas do paciente, sem distinção moral ou equivalência entre os atendidos.

Dedicação

A demonstração do profissionalismo na psicanálise passa pelos efeitos da abordagem na vida de cada pessoa analisada. Para que os resultados sejam mais efetivos e feitos no menor intervalo que o processo permite, o psicanalista precisa estar em constante formação, buscando cursos e grupos de pesquisa que o permitirão estar sempre atualizado, na prática e na teoria.

A compreensão do ofício

Cada indivíduo é único e, por isso, cada processo é dotado de um ritmo e uma duração própria. Entender como fazer um bom atendimento psicanalítico passa pelo exercício da prática, combinada ao próprio desenvolvimento profissional.

No curso de uma formação em psicanálise, muitos desafios podem ser postos à sua frente. O foco para a realização deve ser, enfim, mergulhar na abordagem e tornar-se apto a aprender diariamente com os pacientes.

Agora que você já sabe como fazer um bom atendimento psicanalítico, que tal buscar cursos para atualizar os seus conhecimentos na área? Confira as especializações que a SBPI tem a oferecer para você

1 comentário para este post

Deixe uma resposta para pedro santana neto Cancelar resposta