Afinal, o que é o complexo de édipo?

Entre os vários conceitos criados por Freud está o Complexo de Édipo, que ocorre em uma das fases do desenvolvimento infantil. Por envolver questões como sexualidade e infância, por vezes, existe uma interpretação errônea sobre o que é o Complexo de Édipo. No artigo de hoje, vamos abordar esse assunto, visando esclarecer essa teoria. Continue a leitura e confira!

Quem é Édipo?

Antes de adentrarmos no Complexo de Édipo, é interessante entender quem é Édipo. Ele é um personagem de uma tragédia grega escrita no ano 429 a.C por Sófocles, que teve o infortúnio de matar o próprio pai e casar-se com a mãe sem saber.

A história começa quando o rei Laio consulta o oráculo e descobre que seu filho vai lhe matar e casar-se com sua esposa, a rainha Jocasta. Para evitar que isso aconteça, ele manda um servo se livrar da criança, mas o criado descumpre as ordens, fica com pena e leva o bebê (Édipo) para outra cidade.

Quando fica mais velho, Édipo consulta o oráculo, que conta seu trágico destino. Para escapar da previsão, ele foge, mas acaba encontrando com o rei Laio, que o ataca e, em legítima defesa, ele o mata. Ao chegar na outra cidade, ele vence a esfinge e se casa com a rainha, que ele não sabe, mas é Jocasta, sua mãe.

No final, a verdade é descoberta e a tragédia tem seu fim, que é, obviamente, trágico. É fácil perceber a ligação entre essa história e o conceito de Freud, como você verá a seguir.

Como essa história está relacionada ao complexo?

Para Freud, durante o desenvolvimento psicossexual, existem 5 fases; entre elas, o estágio fálico. Durante esse estágio, o menino começa a desenvolver desejo pela mãe e a ter ciúmes do pai. Também pode ocorrer de a menina começar a desejar o pai e ter ciúmes da mãe.

Nesse caso, o complexo é conhecido como Complexo de Édipo feminino. Jung, outro psicanalista muito importante, denominou a “versão feminina” como Complexo de Electra; no entanto, Freud não concordava com essa nomenclatura.

É importante ressaltar que, para uma criança, os desejos e os impulsos de prazer são interpretados de forma diferente, pois ela ainda não tem o mesmo conhecimento de mundo de um jovem ou de um adulto, mas, ainda assim, ela os sente.

Quando começa a notar que seu comportamento é inadequado, ela acaba sentindo culpa e até medo por conta de seus sentimentos e, assim, é feita a “castração”.

Quais são as consequências do Complexo de Édipo?

Nos meninos, essa culpa leva ao medo inconsciente de perder o pênis e, nas meninas, haveria a inveja do pênis. Segundo Freud, quando não ocorre a resolução do Complexo de Édipo, podem surgir perturbações psíquicas, incluindo pedofilia e neuroses.

Além disso, as crianças podem acabar tendo uma fixação pela mãe ou pelo pai e começam a procurar um parceiro semelhante a eles. Já quando a resolução é bem-sucedida, o desenvolvimento psíquico ocorre e elas começam a se identificar com o genitor do mesmo sexo.

Ou seja, como ela percebe que não pode tê-los, ela se compromete a ser como eles, construindo o supereu. Vale lembrar que, apesar de serem usados termos como “pai” e “mãe”, o complexo pode acontecer com quem cuida da criança e não apenas com quem a gerou.

Algumas pessoas acabam sentindo certa estranheza ao procurar saber o que é o Complexo de Édipo, por ele associar o prazer sexual à infância e aos pais; porém, quando iniciam os estudos de psicanálise, começam a interpretar melhor o conceito.

Se você gostou do artigo, curta a nossa página do Facebook e aproveite para conferir nossas outras publicações!

1 comentário para este post
  1. Olá, boa tarde! Sou estudante de psicanálise e gostei muito de saber sobre Melaine Klein. Quero sim, receber mais artigos e biografia de outros psicanalistas. Abraço e bom final de semana.

Deixe uma resposta