15 filmes que todo psicanalista deve assistir

Dizem que a arte imita a vida. Se isso é verdade, uma das formas de arte que mais se aproxima de realizar tal proposta é o cinema. Por isso, desde seu surgimento, a sétima arte vem contribuindo para formação de sujeitos em nossa sociedade em todas as formas possíveis, inclusive profissionalmente.

Foi por isso que separamos neste artigo alguns filmes que contribuem com a formação de qualquer psicanalista. Confira abaixo quais são eles e boa sessão!

1. “Um Método Perigoso” (Inglaterra, Alemanha, 2011)

Vencedor de vários prêmios internacionais de cinema, como o London Critics Circle Film Awards, “Um Método Perigoso” mostra a história entre Freud, Jung e Sabina Spielrein, uma paciente diagnosticada como histérica. A obra torna-se rica para os psicanalistas e futuros profissionais da área, pois apresenta sessões de análise, discussões sobre a teoria então recém-criada por Freud e explora as fronteiras da relação analista-paciente.

2. “Garota Interrompida” (EUA, 1999)

Dirigido por James Mangold, este filme conseguiu grande repercussão em festivais de cinema e com o público por conseguir abordar, ao mesmo tempo, temas profundos e difíceis, provocando a reflexão dos espectadores. Para interessados em psicanálise em geral, “Garota Interrompida” é ainda mais atrativo por ter como protagonista uma mulher diagnosticada com Transtorno de Personalidade Borderline (Winona Ryder) e uma personagem secundária com características sociopatas (Angelina Jolie).

3. “Tempo de Despertar” (EUA, 1990)

Baseado no livro de Oliver Sacks, este filme tem como cenário um hospital psiquiátrico com um número considerável de pacientes catatônicos. Curioso com tal situação, o neurologista Malcolm Sayer (Robin Williams) inicia uma pesquisa e descobre qual remédio pode ajudá-los na recuperação. As repercussões da pesquisa do médico elucidam os processos de diagnóstico e também como as interferências — sejam elas psíquicas ou medicinais — podem ter efeitos colaterais nos pacientes.

4. “Freud, Além da Alma” (EUA, 1962)

Conhecido como uma biografia do criador da psicanálise, essa obra, dirigida por John Huston, explora mais do que uma narrativa linear. No decorrer de 2 horas e 20 minutos, o espectador tem contato com noções fundamentais e fundadoras do método terapêutico, como a descoberta do inconsciente, hipnose e histeria. Um filme essencial para todos e oportuno para iniciantes.

5. “A Invenção da Psicanálise” (França, 1997)

Se a ideia é fazer uma imersão direta na história e conceitos edificantes da psicanálise, este documentário é o ideal. Além de explorar os primeiros passos dados por Freud no final do século XIX, o filme acompanha a evolução das teorias psicanalistas no decorrer dos anos. O panorama mostra-se robusto para quem procura compreender o trajeto deste método, que até hoje influencia o modo de assimilar o mundo e a sociedade em que vivemos.

6. “Melancolia” (Dinamarca, 2011)

Do aclamado (e controverso) diretor Lars von Trier, o longa-metragem exige do espectador muita, mas muita paciência ao narrar a história de duas irmãs. Embora a lentidão possa parecer um repelente, ela é essencial por ser o “personagem” que melhor expressa o significado do estado de abatimento que dá nome ao filme.

7. “O Silêncio dos Inocentes” (EUA, 1991)

Um clássico do cinema que traz a bela atuação de Anthony Hopkins como o canibal Dr. Hannibal Lecter. No filme, ele é investigado por uma cadete novata do FBI (Jodie Foster) e, de seus encontros, uma trama policial-psíquica se forma na frente do espectador, tecendo paralelos entre psicopatia e perversidade.

8. “Cisne Negro” (EUA, 2010)

O filme de Darren Aronofsky que fez com que Natalie Portman ganhasse o Oscar de melhor atriz também entra na nossa lista. Ele retrata a história de Nina, uma bailarina perfeccionista que perde o senso da realidade quando se vê competindo por um papel em uma apresentação de ballet. Se você quer saber mais sobre a questão do imaginário, este filme é uma bela maneira.

9. “Don Juan de Marco” (EUA, 1994)

“Don Juan de Marco” é um romance leve que representa bem as figuras do analista, da psicanálise e da importância do desejo. Um rapaz ameaça a se jogar do alto de um edifício afirmando ser Don Juan de Marco, o maior amante que o mundo já viu. Ele alega ter perdido a mulher por quem é apaixonado e por isso está um um estado de depressão profunda. O psiquiatra Dr. Jack Mickler é chamado para salvá-lo. O filme gira entorno do tratamento de Don Juan e como o seu desejo e sua história modificam a vida do Dr. Jack.

10. “Precisamos Falar sobre o Kevin” (EUA, 2011)

O décimo filme dessa lista é baseado no livro homônimo. “Precisamos falar sobre o Kevin” é um filme muito polêmico, pois apresenta como principal tema o mito do amor materno. Além disso, ele trabalha uma questão muito importante para a psicanálise: o complexo de Édipo.

11. “Segredos de uma Alma” (Alemanha, 1926)

“Segredos de uma Alma” é uma obra cinematográfica muda que foi aprovado pelo próprio Freud e é considerado o primeiro filme psicanalítico oficial. Ele retrata a história de um homem que procura um psicanalista porque possui um medo irracional de facas e uma compulsão em matar sua mulher. O longa-metragem se assemelha a um dos casos mais conhecido de Sigmund Freud: “O Homem dos Ratos”.

12. “Janela da Alma” (Brasil, 2001)

Se você quer saber um pouco mais sobre a formação do inconsciente e ainda prestigiar um filme nacional, Janela da Alma é a pedida ideal. Trata-se de um documentário realizado pelos diretores João Jardim e Walter Carvalho, composto por 19 depoimentos de pessoas que sofrem com diferentes graus de deficiência visual. Elas retratam como veem o mundo, a si próprios, os outros e como a emoção pode transformar a realidade.

13. “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembrança” (EUA, 2004)

Diferente do habitual, “Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembrança” traz Jim Carrey interpretando um personagem dramático. O filme conquistou o público e a crítica especializada, vencendo o Oscar de melhor roteiro em 2005. Com uma narrativa não-linear, trata-se de um suspense psicológico envolto de ficção científica que aborda o processo de luto e melancolia na perda do objeto de desejo do amor romântico, explorando o valor da memória e da sua função na humanização do ser humano.

14. “Cidade dos Sonhos” (EUA, 2001)

Se você gosta de filmes psicanalíticos e surrealistas que te deixam confuso e pensativo quando acabam, você vai adorar “Cidade dos Sonhos”. O filme precisa ser visto com muita atenção, já que o próprio diretor, David Lynch, se recusou a dar interpretações pessoais sobre o que queria transmitir na tela. O filme mistura com genialidade a realidade e o delírio, relacionando-os com os desejos humanos.

15. “Clube da Luta” (EUA, 1999)

Para encerrarmos nossa lista, nada melhor que o clássico filme “Clube da Luta”. Baseado no livro homônimo e dirigido por David Fincher, o filme caiu nas graças do público graças ao seu teor político.

Tratando-se da psicanálise, ele é interessante tanto para estabelecer hipóteses diagnósticas dos personagens, quanto tratar da violência e falar da formação do sujeito e sobre os delírios.

Esperamos que tenham gostado de nossas indicações e que elas contribuam não apenas para o entretenimento, mas para a sua formação como psicanalista.

Se você gostou deste post, compartilhe-o nas redes sociais e ajude seus amigos a conhecerem um pouco mais sobre a psicanálise de uma maneira divertida!

19 comentários para este post
  1. Como sugestão, recomendo também o filme SPIDER – Desafie sua mente. Um excelente desafio para um psicanalista.

  2. Oi pessoal
    Esse site é mesmo surpreendente, queria dar os parabéns pelo trabalho de vocês.
    Sempre é bom obter novos conhecimentos, obrigado 😉

  3. Olá pessoal, muito bom esses filmes já assistir alguns inclusive Freud além da alma. Recomendo um filme interessante (Nico). Gostei desse saíte.

  4. Obrigado pelas dicas, pois acredito que sempre se aprende muito com a arte, principalmente quando a acessamos de modo repetitivo.
    Existiria alguma obra que mostra e trata uma situação de modo mais corporativo, a de um país por ex. ? Uma situação contrária, que a vida pudesse imitar a arte ? E desse modo, pudesse dar início a um trabalho forte de base, isto é, na sua fonte, afim de controlar e aliviar as agruras que mais afligem a população como um todo. Até onde a arte e a psicanalise poderia contribuir neste sentido?
    Obrigado

Deixe uma resposta