10 livros de psicanálise que não podem faltar na sua estante

Livros de Psicanalise

A psicanálise é um dos métodos terapêuticos mais conhecidos e utilizados no mundo. Um dos motivos que podem explicar isso é sua abrangência e profundidade na investigação do comportamento humano. Dessa forma, dedicação e estudo são fundamentais para seu entendimento e sua aplicação.

Os livros são companheiros constantes da prática clínica e das horas em aula com professores de psicanálise. E esse apoio teórico é realmente importante para formar profissionais de alto nível.

Por isso, neste post apresentamos livros de psicanálise que podem contribuir tanto para a introdução de interessados quanto para a sedimentação do conhecimento daqueles que já têm algum contato com as obras de Sigmundo Freud. Confira e boa leitura!

1. “Conferências introdutórias à psicanálise (1915-1916)”, de Sigmund Freud

Freud publicou textos de aulas que ministrou nos anos em que desenvolveu a base da psicanálise. A série é gigantesca e cobre praticamente todo o trabalho do psicanalista. Por isso, é imprescindível para quem quer obter conhecimento sobre a área.

Atualmente, é possível conseguir exemplares em português. Eles foram traduzidos diretamente da edição inglesa, a Standard Edition, e incluem notas e comentários do editor, James Strachey.

2. “Textos essenciais da psicanálise”, de Sigmund Freud

O trabalho de Freud é reconhecido ao redor do planeta. Nessa obra, ele organizou uma seleção de materiais que ajudam a introduzir o leitor ao amplo e denso mundo da psicanálise. Portanto, é uma excelente obra para iniciantes e interessados no assunto.

No livro, o leitor encontra textos como “A questão da análise leiga” e outros que ajudam a esclarecer conceitos como o significado dos sonhos, o inconsciente e as vidas sexual e pulsional.

3. “Freud, a trama dos conceitos”, de Renato Mezan

O substantivo “trama”, que está no título dessa obra, é tão propício quanto adequado a ela. O mundo da psicanálise tem como alicerce um conjunto de conceitos que se tocam e, às vezes, se cruzam.

O que o autor, Renato Mezan, fez nesse livro foi elucidá-los de maneira a evidenciar os pontos em que eles se tocam. Assim, mostra ao leitor, seja ele iniciante ou estudioso da área, as interlocuções conceituais existentes na psicanálise.

4. “Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise”, de Jacques Lacan

Fruto do Seminário 11, “Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise” tem importância histórica por ter aberto o campo clínico para a academia e os estudantes. O conteúdo, por sua vez, também é essencial.

Ele aborda o inconsciente, a repetição, a transferência e a pulsão de forma crítica e propõe avanços na interpretação e na aplicação desses conceitos. Nesse contexto, a obra ilustra como as ideias de Freud passaram por desenvolvimentos nas mãos de outros estudiosos.

5. “Freud: uma vida para nosso tempo”, de Peter Gay

Peter Gay é historiador, mas tem formação em psicanálise. Essas capacidades, em conjunto com seu interesse pelos intelectuais da metade do século XIX, o levaram a aprofundar-se na vida de Freud como nenhum outro estudioso havia feito até então.

A obra apresenta detalhes da vida do pai da psicanálise com ênfase na construção de suas ideias. Embora o livro não retrate diretamente conceitos psicanalíticos, ele os contempla e os contextualiza dentro da vida de Freud de maneira bastante abrangente. Por isso, tornou-se obra essencial, considerada por muitos como a biografia definitiva.

6. “Fundamentos da psicanálise — de Freud a Lacan”, de Mauro Antônio Coutinho Jorge

Nessa obra, o autor introduz a psicanálise a partir de seus fundamentos. Ele aborda, principalmente, dois fatores da análise da psique sob a perspectiva dessa teoria, a linguagem e a sexualidade.

Além de ter como base as obras de Freud, o livro se apoia na leitura de Lacan sobre a psicanálise. Com isso, desenvolve os conceitos de real, simbólico e imaginário sob o ponto de vista humano ao discutir a repressão, os conflitos dos pensamentos, os desejos e assim por diante.

7. “A interpretação dos sonhos”, de Sigmund Freud

Uma das obras mais conhecidas do criador da psicanálise, “A interpretação dos sonhos” inicia a teoria da análise dos sonhos. Ela os entende, nesse momento, como uma forma de realização de desejos e, nas palavras de Freud, é “(…) a estrada real que conduz ao inconsciente”.

Nesse livro, há um método de análise dos sonhos por meio da associação livre de símbolos e signos contidos neles. O curioso é que a maior parte do conteúdo se baseia na análise dos sonhos do próprio Freud, a partir da qual ele interpreta e cria teorias a respeito do papel do sonho na psicanálise.

8. “Psicanálise com crianças”, de Teresinha Costa

Esse livro é uma introdução aos grandes momentos da história da psicanálise infantil. Nele, fica claro que a ética adquire contornos precisos quando se trata da clínica com crianças.

A obra revela as contribuições de Anna Freud, Melanie Klein, Donald Woods Winnicott e Françoise Dolto, grandes nomes da história da clínica com crianças. A autora, Teresinha Costa, é psicóloga, psicanalista, mestre em pesquisa e clínica em psicanálise.

9. “Amanhã, Psicanálise”, de Leonardo Adalberto Francischelli

O livro de Francischelli parte de um questionamento que ele faz sobre o trabalho dos psicanalistas. Antes de falar sobre o que é a psicanálise, como ela funciona e quais os métodos de tratamento que utiliza, há um questionamento sobre o tratamento que os profissionais da área dedicam aos pacientes.

A obra promove uma discussão importante que busca, sobretudo, estabelecer um debate que considere o impacto da psicanálise na sociedade a partir das técnicas desenvolvidas pelos psicanalistas.

10. “O seminário, Livro 3: As psicoses (1955-1956)”, de Jacques Lacan

Nesse livro, Lacan aborda de maneira completa as psicoses. Trata-se de uma obra interessante para todo psicanalista, principalmente para quem pretende atuar no segmento de saúde mental.

O autor faz um estudo de “Memórias de um doente dos nervos”, a autobiografia de Daniel Paul Schereber (que foi presidente da corte de apelações da Alemanha e desenvolveu uma esquizofrenia paranoica). A partir disso, apresenta propostas inovadoras e inusitadas para o tema.

Esta é apenas uma pequena lista, já que existem livros de psicanálise às centenas e que há muitos outros que são de grande importância. Os apresentados aqui, entretanto, podem ajudá-lo a entrar e entender a área de forma mais fácil.

Quer ler outros textos como esses? Assine nossa newsletter e tenha acesso ao melhor conteúdo sobre psicanálise!

8 comentários para este post
    • Freud: uma vida para o nosso tempo. De Peter Gay – Acredito que através do título do livro o autor nos apresenta uma leitura própria para o mundo que vivemos hoje. Onde as dificuldades emocionais tem estado cada vez mais presente na vida do ser humano. Trazendo doença psiquicas que nas décadas passadas se tratavam de situações esporádicas e de menor importância.

Deixe uma resposta